segunda-feira, 2 de março de 2009

primeira reunião de 2009 da Pastoral Política (Católicos na Política) realizada no dia 27/02/2009









Primeira reunião da Pastoral Política

Aconteceu no dia 27/02/09, às 9 horas, na Arquidiocese do RJ




A primeira reunião de 2009 da Pastoral Política (Católicos na Política) foi realizada no dia 27/02/2009, às 9h, na Arquidiocese do Rio de Janeiro. A reunião foi presidida por Dom Filippo Santoro, Bispo de Petrópolis-RJ , e contou com a presença de diversas lideranças católicas do meio Político.

Estiveram presentes: Soraya Moreno (Paróquia Sagrado Coração – Glória), que tem o programa “Com Jesus tudo pode ser mudado” na Rádio Catedral, o qual está completando 10 anos e vai ao ar toda segunda-feira, das 10h às 10h45; Márcio Panda (Paróquia Santo Afonso), membro atuante da Pastoral Política; o Deputado Estadual Nilton Salomão; Sidney Domingues; Márcio Queiroz (Paróquia Sagrado Corações – Tijuca), engenheiro e ex-secretário de transportes do Município do Rio de Janeiro; Tadeu Araújo; Luiz Carlos Puggiali, assessor do governador; Silvia Pontes, coordenadora da Dependência Química do Município do Rio de Janeiro; e Claudio Castro, chefe de Gabinete do Secretário da SMPD; além do Vereador Márcio Pacheco.

Dom Fillipo iniciou a reunião com a apresentação do vídeo da Campanha da Fraternidade de 2009. Logo em seguida, falou sobre a importância da divulgação do mesmo em nossas comunidades. O segundo assunto de pauta foi a coleta de assinaturas sobre a corrupção eleitoral. Ressaltou que, neste próximo fim de semana, dias 28/02 e 01/03, estaria acontecendo uma movimentação mais intensa neste sentido na Diocese de Petrópolis. A expectativa dele era que se recolhessem no mínimo 20 mil assinaturas nas comunidades.

Dom Fillipo divulgou o encontro que aconteceria no Colégio Santa Isabel, em Petrópolis, com o tema: Segurança e Paz. Na parte da manhã, o Encontro seria restrito a profissionais da Educação e teria a presença do Pe. Fábio de Mello. Já na parte da tarde, aconteceria uma mesa redonda com a presença de autoridades estaduais e municipais, incluindo o Prefeito de Petrópolis, Paulo Mustrangi.

Na reunião foram acertados também dois eventos com a realização da Pastoral dos Católicos na Política. O primeiro será no dia 26/03, com enfoque no ensino religioso, para esclarecer a natureza do ensino religioso pluriconfessional. Esse evento será realizado em conjunto com o Movimento Comunhão e Libertação e com o apoio do Secretário Márcio Pacheco e do Deputado Hugo Leal. A idéia de Dom Fillipo é que o evento aconteça no Plenário da Câmara dos Vereadores e que estejam integrando a mesa, além dele, o Ministro Celio Borja; a Secretária Estadual de Educação, Teresa Porto; e a Secretária Municipal de Educação, Claudia Costin. Será feito um convite também para que o Prefeito Eduardo Paes realize a abertura do evento, reafirmando assim o seu total apoio ao projeto de lei que institui o ensino pluriconfessional nas escolas públicas. Dom Fllipo pediu, na realidade, uma ação urgente e concreta da pastoral, em relação a esse tema, pois disse que seria cobrado por isso no próximo encontro da CNBB (dia 30/03), em que ele participará junto com D. Edney, a respeito do ensino religioso no modelo de conduta do Rio de Janeiro.

O segundo evento programado será no dia 04/04, um encontro aos moldes do que irá acontecer em Petrópolis no dia 14/03. Cogitou-se a possibilidade do encontro acontecer no auditório do Colégio São Bento. Esse encontro está sendo organizado pela pastoral em conjunto com o Governo do Estado, com o representante do Estado, Luiz Carlos, e os representantes da pastoral, Marcio Queiroz e Soraya Moreno, escolhidos por Dom Fillipo.

Ao final da reunião estiveram presentes Maria Aparecida Filizola e o Professor Junior do Movimento dos Focolares, que falou a respeito da PEC do orçamento impositivo. Na explanação foi citado o nome do Deputado Federal Hugo Leal, como um dos políticos do Rio de Janeiro, que assinou a favor desse Projeto de Emenda à Constituição. Maria Aparecida ressaltou também a importância da ação popular, através da coleta de assinaturas. Após a explanação, Dom Fillipo deu por encerrada a reunião.






Fonte: Márcio Panda